De onde vêm os nomes dos países?

Qual a diferença entre Países Baixos e Holanda? O certo é Alemanha, Germânia ou ainda Deutschland? Talvez Doitelândia? É Côte d’Ivoire ou o quê?

I. Raramente o nome pelo qual um povo chama o próprio país (endônimo) corresponde ao nome pelo qual o país é conhecido por outros povos (exônimo). Constantemente, há no mínimo pequenas divergências na pronúncia e na escrita. Brasil, por exemplo, é Brazil para os americanos, Brésil para os franceses e Brasilien para os tedescos.

Algumas vezes a diferença é menor ainda. A capital da França (France, Francia, Frankreich) é Paris, tanto em português, como em inglês e também no próprio francês. Mas a pronúncia em inglês é mais ou menos Péris e, em francês, Parrí. Da mesma forma, México em inglês é Mexico, mas a pronúncia é algo como Meksico.

Muitas vezes, portanto, as diferenças nos nomes de alguns países e cidades derivam unicamente de pequenas diferenças fonéticas e ortográficas entre diferentes idiomas.

II. Outras vezes as diferenças são maiores. Os United States viram Estados Unidos, États-Unis, Stati Uniti e Vereinigte Staaten. Côte d’Ivoire vira Costa do Marfim ou Ivory Coast. A pronúncia e a escrita não têm nada a ver com os nomes originais, mas, claro, são traduções deles.

Essa é outra forma de gerar nomes bem diferentes para denominar a mesma região: traduções literais.

Por isso, Nederland virou Países Baixos. Mas esse não é o nome pelo qual a maioria das pessoas conhece a terra do queijo Gouda, dos tamancos de madeira e da maconha liberada. Essa terra se chama é Holanda.

III. Holland era a área mais rica dos Países Baixos na época do colonialismo e, por esse acaso, passou a ser utilizada como sinônimo de todo o reino. Hoje, existem duas províncias chamadas Holanda do Sul (Zuid-Holland) e Holanda do Norte (Noord-Holland). Na província da Holanda do Norte fica a capital neerlandesa, Amsterdam, que é onde ficam coisas interessantes como o porão de Anne Frank, a fábrica original da Heineken e o Red Light District.

Países Baixos vira Netherlands em inglês, Pays-Bas em francês e Paesi Bassi ou Olanda em italiano.

19.03.07. Como surgem os nomes dos países
Coffeeshop em neerlandês significa “boca de fumo”.

Além da tradução literal, o nome da Holanda é diferente entre várias línguas porque algumas delas usam uma região dos Países Baixos para se referir ao Estado como um todo. Isso é um pouco parecido com o que acontece com a Alemanha.

Em inglês, quem nasce na Holanda é Dutch. Dutch tem a mesma origem de Deutsch, que é alemão em alemão. A origem desses termos é a palavra diutisc, do alto-alemão antigo, que significava algo como “para o povo”.  Daí surgiram também o endônimo alemão, Deutschland, e o exônimo holandês para a Alemanha, Duitsland.

Também é essa a origem da palavra tedesco, que é alemão em italiano.  Curiosamente, Alemanha em italiano é Germania, nada a ver com tedesco. Esse nome deriva de germanus, nome utilizado pelos romanos por volta do último século antes de Cristo para descrever um conjunto de tribos germânicas no norte da Gália, onde hoje ficam Holanda, Bélgica, Luxemburgo e noroeste da Alemanha.

Alemanha, Allemagne e Almanya vêm do nome do povo Alemanni, uma tribo germânica que habitava sul da Alemanha, Suíça e nordeste da França. Ou seja, Germânia e Alemanha originalmente se referiam a tribos germânicas que viviam em parte da Alemanha atual, e hoje são usados para se referir ao país como um todo.

IV. Outra forma de batizar um país é com termos pejorativos. O termo polonês para a Alemanha é Niemcy, que vem do proto-eslávico para “mudo”, também com o sentido de “sem poder”, “fraco”. Em linguagem Maori, o nome da França é Wiwi, numa imitação da expressão oui, oui (“sim, sim”).

V. Também podemos nomear países segundo características próprias: África do Sul, porque fica no sul, e Austrália, pelo mesmo motivo, ou Islândia, a terra do gelo. Também podemos mentir: Groelândia em inglês é Greenland, “terra verde”, para uma região cheia de neve (ainda que esse nome possa ter sido apenas um erro de tradução).

VI. Países ainda podem receber seus nomes de objetos típicos. Quer um exemplo? Brasil, de pau-brasil, uma madeira de coloração vermelha (como brasa). Quem deu esse nome a nosso país foi Portugal, que na Idade Moderna foi pioneiro no comércio entre a Europa e várias colônias nas Américas e no Oriente. Portugal transportava e vendia todo tipo de coisa: de tecidos a laranjas. Até hoje, laranja em árabe é burtuqal e em grego é portokáli.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Blog no WordPress.com.

Acima ↑