Como passei em medicina na federal #1

Fui criado numa casa de advogados. Desde pequeno sou íntimo desse assunto, “concurso público”. Quando tinha 15 anos, minha mãe achou que eu estava dando trabalho demais e me inscreveu, sem nem me falar, em um concurso público dos Correios, de jovem aprendiz. Passei e fui trabalhar lá, enquanto tocava o ensino médio. Penei.

Terminei o terceiro colegial e entrei na faculdade de direito de Uberlândia. Sempre me perguntam se eu não gostava de estudar direito e eu sempre falo que gostava. Mas queria tentar outras coisas. No segundo ano da faculdade, decidi prestar medicina. Não entrei em cursinho e não larguei a faculdade: continuei estudando direito e fazendo estágio em escritório, enquanto revia as matérias do ensino médio para fazer o ENEM. Ia pra faculdade à noite, estagiava de tarde e estudava para o ENEM de manhã.

Passei em medicina. Tive sorte de muitas formas diferentes, senão não passaria. Mas também colhi os frutos de saber como estudar de forma muito eficiente e voltada aos meus objetivos.

Agora, estou no sexto e último ano do curso. É hora de estudar para residência, e meus sonhos são altos nesse sentido. Entre o blog, a 99mentors, o MED Talks, o internato e todas as outras atividades chatas que fazemos, como tomar banho e brincar com a gata, o tempo para estudar é menos largo do que eu gostaria.

Por isso, tenho que saber aproveitá-lo muito bem!

***

É preciso ser pragmático. 

Quem estuda para passar em um concurso concorrido deve se concentrar nesse objetivo: passar no concurso.

Eu não estudei a faculdade de medicina inteira para fazer prova de residência. Comecei a estudar para a prova no sexto ano. Antes, eu estudava para ser médico.

Não é que sejam coisas tão diferentes assim. Estudar para a prova te ajuda muito a ser um médico mais técnico. Mas é só isso. 

Antes de começar a estudar para residência você tem que ter aprendido na faculdade as disciplinas básicas do corpo humano e a importância do contato com o paciente.

Assim, quando chegar a hora, você pode se concentrar naquele objetivo mais específico — a prova — sem peso na consciência.

***

É preciso ser bastante pragmático. 

Quem estuda para passar em um concurso disputado deve se concentrar nesse objetivo: passar no concurso.

Não adianta ficar reclamando que é inútil saber fazer cálculos com números complexos e decorar qual vaso da planta leva a seiva para cima e qual a traz de volta para baixo.

Você já aprendeu muitas coisas importantes que vai usar na sua vida. Quando chega o terceiro colegial, seu objetivo se torna passar no vestibular. Mesmo que para isso tenha que decorar as fórmulas do movimento acelerado uniforme eterno.

***

Quando estava no terceiro colegial, comecei a aplicar algumas técnicas de estudo eficaz, mesmo sem saber da ciência por trás de nenhuma delas. Segui meu instinto.

De lá para cá, conheci a neuropsicologia que estava por trás de alguns métodos que eu já usava e aprendi outros novos, baseados em evidência.

Nas próximas semanas, vou fazer uma série de posts abordando as principais técnicas de estudo que eu uso e recomendo, baseadas em ciência e na minha experiência pessoal, com dicas específicas para você aplicar nos seus estudos voltados para concursos.

A gente se fala.

estudos.jpg

***

Links das sequências:

Parte II

Parte III

Parte IV

Parte V

Parte VI

4 comentários em “Como passei em medicina na federal #1

Adicione o seu

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Blog no WordPress.com.

Acima ↑