Como passei em medicina na federal, V

Este texto é uma continuação de Como passei em medicina na federal.

 

Mais um texto da minha série sobre técnicas de estudos baseadas em evidências que vão aumentar suas chances de ser aprovado em concursos.

Nos textos anteriores, já falamos sobre a importância dos testes e como incorporá-los no seu plano de estudos e já falamos dos benefícios do estudo intercalado sobre o estudo em blocos.

Hoje vou dar algumas dicas secundárias, algumas bem pontuais, outras mais gerais, que podem potencializar a sua preparação, considerando que a base técnica do estudo efetivo já foi abordada: os testes e o estudo intervalado.

 

Seja ativo

Eu já falei isso nos outros textos, mas vale a pena repetir.

Você não vai estudar exclusivamente por exercícios. Principalmente quando você está estudando um assunto que você não sabe bem, você precisa de teoria, isto é, aulas e apostilas.

Não caia na armadilha de ler as apostilas e ver as aulas passivamente. Não gaste tempo copiando, relendo, sublinhando etc. Em vez disso, gaste tempo pensando, escrevendo seu raciocínio com suas próprias palavras, fazendo mapas mentais com palavras-chave sem consultar o livro. Force-se a lembrar os conceitos, não tente absorvê-los simplesmente se expondo a eles continuamente. Não é assim que o cérebro funciona.

Quando estiver vendo aulas, uma dica é anotar palavras-chave no caderno e depois escrever os pontos mais importantes relacionados àquela palavra-chave sem checar a apostila ou a aula. Novamente, você tem que se forçar a lembrar o conteúdo. É assim que “o cérebro entende” que aquela informação é importante para ser lembrada.

 

Leia os comentários

Isto é algo muito importante que eu não falei bem nos outros textos. Quando estiver fazendo exercícios, você precisa de feedback imediato. Não é legal estudar por exercícios se você não sabe quais errou e quais acertou. 

Prefira sempre fazer exercícios que tenham comentários e explicações. Quando você erra um teste, seu aprendizado será mitigado se você não entender por que errou e qual conceito você precisava para resolver a questão corretamente. 

Prefira sempre exercícios comentados e tenha sempre o gabarito disponível.

 

Mude de ambiente

Esta é uma dica bem pontual e realmente eu não acho que faça muita diferença no resultado final, mas eu acho interessante porque vai na contramão do que a maioria dos manuais de estudo fala.

Você não precisa necessariamente achar um lugar quieto e silencioso para estudar. Cada pessoa é de um jeito e pode ser que você performe melhor em um lugar não tão silencioso.

Teste. Conheça-se. No mínimo você vai aprender algo sobre si mesmo. Na melhor das hipóteses, vai encontrar uma forma mais efetiva de aprender.

A dica de mudar de ambiente também vale para simulados. Não tente simular exatamente o ambiente da prova (você vai errar na simulação de qualquer jeito!). Em vez disso, experimente fazer a prova sob diversas condições: tempo de sobra, tempo de menos, no meio do barulho, num ambiente bem calmo, em jejum, depois de comer muito, de manhã, de noite etc. É claro que para isso vocêdeve estar disposto a fazer dezenas de simulados ao longo do ano (faça!!!).

Isso vai te preparar melhor do que tentar repetir as condições ideais d eprova (já disse que você não conseguir?!).

 

Não fique na neura

Pode ser que você seja uma pessoa que se dá melhor com a televisão ligada, checando o Instagram de vez em quando, ouvindo música etc. enquanto estuda.

Eu mesmo faço tudo isso. Quando estou estudando e fico entediado, coloco uma música. Dali a pouco ela começa a me aborrecer e eu desligo. Dou uma olhada no celular, pego uma água, vou ao banheiro. Tudo isso me ajuda.

Não fique na neura de que você tem que se trancar e estudar horas sem tocar no celular ou sem levantar da cadeira. Na verdade, experimente o inverso. Lembre-se do que falamos sobre o estudo intervalado.

 

Gamefique o estudo

Estudar não deve te entediar!!! Pode ser difícil, pode ser trabalhoso, pode dar preguiça. É normal que você não queira estudar, acho que a maioria das pessoas é assim. Mas o estudo não deve ser entediante. Ele deve ser recompensador, porque você vai sentir que está cumprindo tarefas, avançando fases como em um videogame.

Crie metas a curto e longo prazo, e cumpra-as custe o que custar. Adapte-as ao longo do ano se sentir que elas não lhe convém. Encare o estudo como um desafio de desenvolvimento pessoal. Você vai combater o bom combate e sair dele fortalecido.

Vibre com cada resposta certa, xingue as questões que errou, seja seu próprio coach. Motive-se. Beba café até sentir as mãos tremerem de vez em quando (OK, tome cuidado, encare estas dicas com algum ceticismo). Sinta-se vivo enquanto estuda e lembre-se que nada de bom jamais foi alcançado sem entusiasmo.

Washington Irving y sus amigos literatos en Sunnyside.jpg

Por hoje é só. Nos próximos dias vou publicar a continuação. Provavelmente será o último texto da série.

***

Link da sequência:

Parte VI

***

Se você precisa de ajuda para estudar, pode falar comigo: +55 34 99141 7344.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Blog no WordPress.com.

Acima ↑