Divagarte-se #13

Não te amo

Hoje eu, sempre tão dada às metáforas,
venho dizer-te claro e sem rodeios
Não te odeio,
Mas tampouco te amo.

Te gosto, e te quero muito bem
Às vezes te desejo também,
Mas não te amo
Não com floreios e romantismos
E hoje, sem eufemismos,
Venho dizer-te de forma limpa e escancarada
com a alma lavada
que não te amo porque não quero amar

É que eu sou demasiado intensa,
e pra mim não compensa se não me envolve, me fascina, me incendeia,
se a entrega é só meia, sendo que eu transbordo.

Não me permiti amar você, porque apesar da afinidade e da intimidade,
Não houve encanto
e eu nem sinto tanto por isso,
por ter sido assim
E agora, já no fim,
aqui estamos.
E sem peso na consciência,
Te digo com veemência
Que não te amo

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Blog no WordPress.com.

Acima ↑