Maconha medicinal na esclerose múltipla: as evidências

Já falamos por aqui que a cannabis medicinal, apesar de todas as paixões contra e a favor dela, tem algumas aplicações médicas restritas apoiadas por evidências científicas fortes. A seguir, um pequeno resumo de alguns estudos fortes que aprovam o uso de maconha para dor e espasticidade em pacientes com esclerose múltipla. 

>> Cannabinoids for treatment of spasticity and other symptoms related to multiple sclerosis (CAMS study): multicentre randomised placebo-controlled trial.

Trabalho que avalia os efeitos de um extrato de cannabis e de delta-9-TCH isolado no tratamento de pacientes com dor e espasticidade devido a esclerose múltipla. 

Características: ensaio clínico, randomizado, controlado.

N: 630 pacientes, 417 nos grupos de intervenção, 213 controles. 

Duração: 15 semanas. 

Substância: extrato de cannabis e delta-9-THC.

Resultado: o tratamento com canabinoides não se mostrou benéfico para redução da espasticidade e dor nesses pacientes quando os sintomas foram avaliados objetivamente, mas mostrou resultados como melhora da mobilidade e melhora da dor na avaliação subjetiva dos pacientes.

>> Randomized, controlled trial of cannabis-based medicine in central pain in multiple sclerosis

Estudo para avaliar os efeitos do nabiximol (um dos mais famosos compostos farmacêuticos derivados da cannabis) em pacientes com dor neuropática central ou espasmos dolorosos em decorrência de esclerose múltipla. 

Características: ensaio clínico, randomizado, controlado, duplo cego.

N: 63 pacientes, 32 no grupo de intervenção, 31 controles. 

Duração: cinco semanas. 

Substância: spray oral à base de THC e CBD (2,7 e 2,5 mg/dose, respectivamente) (nabiximol, Sativex), disponíveis para autoadministração. 

Resultado: diminuição da dor neuropática e dos distúrbios do sono dos pacientes, com maior prevalência de efeitos colaterais, ainda que bem tolerados (boca seca, tontura etc.).

>> Efficacy, safety and tolerability of an orally administered cannabis extract in the treatment of spasticity in patients with multiple sclerosis: a randomized, double-blind, placebo-controlled, crossover study

Estudo cruzado que analisou a resposta de pacientes com espasticidade devido a esclerose múltipla ao tratamento com compostos canabinoides isolados. 

Características: ensaio clínico, randomizado, controlado, duplo cego, cruzado.

N: 57 pacientes, divididos em grupo A (28) e grupo B (29). 

Duração: 28 dias. 

Substância: cápsula oral com 2,5 mg de THC e 0,9 mg de canabidiol. 

Resultado: pacientes com sintomas de esclerose múltipla refratários podem se beneficiar do uso de canabinoides, com melhora da mobilidade e diminuição da frequência de espasmos, com efeitos colaterais bem toleráveis.

O que você acha?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Blog no WordPress.com.

Acima ↑