Discorrendo riscos #5

INQUIETUDES por que busca prazer em cima da língua e esquece a dor goela abaixo? prefere ser feliz no fundo ou alegre no raso? só se importa com o que vê e do resto, faz pouco caso? qual é verdadeiro? qual será o falso? a resposta, no momento, não está fora, mas dentro. saber disso,... Continuar Lendo →

Discorrendo riscos #3

AQUI, DO LADO DE LÁ de perto, vejo pedra. de longe, montanha. daqui, sinto medo. de lá, esperança. quando estou perto, nem percebo os detalhes da distância. de cá, vejo gotas. de lá, oceanos. estar longe, às vezes, facilita desenganos. há pormenores que aparentam ser maiores que o todo, mas que bobagem colocar o universo... Continuar Lendo →

Discorrendo riscos #2

jardineiros do mundo Do quintal de mim, eis o jardim: flores das mais diversas folhas, galhos e brotos, frutas maduras. A paisagem, uma amadurecência que só as plantas entendem. Eu via o todo, e tudo me olhava. Era um sobrevoo do mundo e do nada, já que havia desertos também. A água corria profunda, em... Continuar Lendo →

Discorrendo riscos #1

o problema de um só horizonte feliz o iluminador do palco do espetáculo que é o céu. sobre cores ele sabe de cor, não aquele decoreba mecânico, de robô. aquela decoração das fotos de meu avô, que eu não conheci. e que, sendo parte dele, conheço mais do que imagino. quanto mais sei de mim,... Continuar Lendo →

Blog no WordPress.com.

Acima ↑