LSD e Mineralwasser ohne Kohlensäure

Na Alemanha, você precisa pedir expressamente que o garçom não lhe sirva um líquido que vai corroer seu esôfago.

Por que não acredito em cores

Os Pirahã não têm palavras para denominar o que chamamos de laranja, em oposição ao que é vermelho. Eles têm apenas quatro palavras para denominar todas as cores.

De onde vêm “vermelho” e “ruivo”?

Rosso no italiano, rojo no espanhol e russu no siciliano não provêm da mesma raiz que o inglês red, mas sim diretamente do latim russus, um termo então relativamente raro.

Como o nome William virou Guilherme?

Na verdade Guilherme não provém do inglês William, mas sim do alto alemão antigo Willehelm, ou seja, willeo (vontade, determinação) + helm (capacete, proteção).

A origem de todas as línguas que você conhece

O sânscrito é de uma estrutura maravilhosa. Mais perfeito que o grego, mais copioso que o latim, e mais primorosamente refinado que ambos.

Alguém de poucas palavras

Centenas de milhares de palavras resultam pouco para expressar o que sentimos.

Expressões em francês e moléculas cerebrais

Eu tenho um texto que eu não gosto muito porque o resultado final ficou ruim, mas cuja ideia eu adoro: L’esprit de l’escalier e as catecolaminas. Você vai reparar que l’esprit de l’escalier é uma expressão francófona e catecolaminas são moléculas que agem como neurotransmissores no cérebro (e em outros lugares). Daí, o nome deste... Continuar Lendo →

O demônio da noite

A palavra “pesadelo” é curiosa. Nosso primeiro impulso é defini-la como um sonho ruim, mas pesadelos são mais que isso. Existem sonhos bons e sonhos ruins, e existem pesadelos. Eles são outra coisa. Em inglês, pesadelo é “nightmare”, o que também é diferente de “bad dream”. A partícula “mare” originalmente se refere a um demônio... Continuar Lendo →

Qual é a origem dos nomes dos dias da semana?

Por que os nomes da semana são tão parecidos em tantas línguas românicas e germânicas, mas muito diferentes no português moderno?

Blog no WordPress.com.

Acima ↑