Divagarte-se #10

A gente pensa que sabe tanto do mundo, e dos outros, e da gente, mas na verdade a gente não sabe sequer o que sente.

discorrendo riscos #15

já que o fim pode muito bem ser triste, decidi ao menos começar por um pedaço feliz.

Poemas para ler ao pé do ouvido #5

Poesia é algo meio fora de moda, mas pochetes também são e muita gente ainda usa. Será que é errado?

Divagarte-se #9

Uma visita inesperada e inoportuna chegou à minha porta. Achei que ia embora logo, mas resolveu que ia ficar. Seja bem vindo.

discorrendo riscos #14

a matemática nos mostra: somos todos faz de conta. o indivíduo é estatística no coletivo de gente tonta. bicho que divide o espaço, multiplica o tempo.

Poemas para ler ao pé do ouvido #4

Eu sou o guardião da esperança desde a criação do mundo.

Divagarte-se #8

Eu sou correnteza, intensa demais. Então suprimo a incerteza e garanto a minha paz.

Discorrendo riscos #13

Toda vez que saio no mato fico ansioso por saber o que vou encontrar. 

Perder-se também é caminho

Dizem que a sorte protege os desavisados. Quero acreditar que os que estão perdidos também. Vou explicar por quê.

Blog no WordPress.com.

Acima ↑