Medicina, tatuagem, dor e arrependimento

Do you know what a duvet is? *** Muitas vezes já me perguntaram por que eu deixei de estudar direito para estudar medicina, e sempre perguntam se eu não gostava do direito. Eu gostava. Não amava, mas gostava. Eu não acho que eu serei mais feliz ou realizado ou satisfeito na vida por estar fazendo... Continuar Lendo →

Anúncios

Por quem os sinos dobram

Dizem que nada se cria, tudo se copia. O título deste texto foi copiado de uma música de Raul Seixas chamada Por quem os sinos dobram. A canção é a primeira faixa do lado B do disco Por quem os sinos dobram, lançado em 1979. Em 1984, o Metallica lançou a canção For whom the... Continuar Lendo →

Somos todos maus-caracteres na cama

Este texto não é sobre práticas sexuais de moral duvidosa. O ponto aqui é: para mudar a si mesmo, mude suas circunstâncias. Em 2017, eu fui a uma palestra do Dr. Drauzio Varella em que ele contou como sai para correr todos os dias bem cedo. Ele disse que diariamente acorda, levanta da cama e... Continuar Lendo →

Os bons são maioria

Uma coisa que me deixa um pouco emocionado desde que eu sou criança são os automóveis desviando numa pista quando ouvem a sirene de um carro de bombeiros ou uma ambulância. É algo bem pequeno, apenas andar alguns metros com seu carro, mas é a maior parte das vezes um gesto de genuíno altruísmo. Todo... Continuar Lendo →

Toda a sua vida o trouxe até aqui

Eu estava no terceiro colegial, conversando com um amigo sobre o vestibular que faríamos dali a poucos dias. Ele perguntou como eu me sentia em relação ao teste que se aproximava. Eu respondi: "Eu acho que estou pronto... Eu estudo há pelo menos 11 anos para isso... Este é o momento da glória". Parecia que eu... Continuar Lendo →

Por que escrevo em um blog que ninguém lê

Eu li isso há muito tempo. Acho que era um texto do carioca Alex Castro. Um jovem aspirante a escritor procurou um romancista bem-sucedido de sua região e entregou-lhe um maço de folhas. "Isto é meu. Gostaria que o senhor lesse e me desse uma opinião sincera. Eu posso ser um grande escritor? Eu tenho... Continuar Lendo →

Coisas tristes demais para serem mencionadas

Não me lembro de alguma vez ter sido a favor da pena de morte, definitivamente não desde que sou adulto. Mas houve pelo menos uma vez em que eu de fato pensei que nada poderia punir aquilo, senão a pena de morte ou algo parecido. Foi quando eu conheci a história e ouvi o áudio... Continuar Lendo →

Blog no WordPress.com.

Acima ↑