Meu diário de médico #7

Linfonodomegalias que duram muito tempo (mais de 4-6 semanas), maiores que um centímetro e associadas a sintomas constitucionais podem ser preocupantes.

As duas grandes metas do ano

Emagrecer, passar na residência, ser contemplado no PMIC, fazer os podcasts, ficar rico, aprender a tocar tamborim e terminar a última temporada dos Simpsons.

Meu diário de médico #5

Fui buscar o sonar e ouvi um burburinho lá atrás. Abri a porta que dava para a sala de emergência e vi… Isso, sim, é um ataque de facão.

Meu diário de médico #4

Esse termo surgiu porque há homens que fazem sexo com homens, mas não são homossexuais. E o fator de risco é ser homem que transa com homem, e não ser homossexual.

Meu diário de médico #3

Foi espancado por traficantes rivais: fez uma laparotomia exploradora, foi entubado, ficou na UTI, fez colostomia e ficou várias semanas internado.

Meu diário de médico #2

A versatilidade de uma droga que pode ser usada em crianças que têm medo do próprio hábito intestinal, em usuários de heroína e em cirróticos.

Meu diário de médico #1

O paciente queria “remédios para dormir”, o que geralmente quer dizer “benzodiazepínicos”, e eu realmente não queria fazer isso.

Zero-ponto-cinco (ou meia) carta de amor

As boas surpresas geralmente se dão no que eu chamo de sutilezas inesperadas. São coisas mínimas, mas que têm um potencial elefantíaco de se tornarem grandes bons encontros.

Minhas crônicas mundanas

Trechos de minhas crônicas mundanas, que pretendo editar e publicar posteriormente. Leia de olhos fechados.

Blog no WordPress.com.

Acima ↑